Wednesday, September 29, 2010

7 dias em Wichita

Hoje é o nosso sétimo dia em Wichita. E gostaria de contar algumas coisas interessantes e engraçadas daqui:
- Quando você vai a um restaurante, na maioria deles, você mal assenta e eles já perguntam o que vc vai beber, mesmo sem ter visto cardápio. Você faz o pedido e logo depois que vc recebe o prato eles te perguntam como está (TODOS fazem a pergunta com as MESMAS palavras).
Aí, você está lá deliciando a sua comida e já vem a conta ... Acho estranho porque na maioria das vezes, no Brasil, passamos mais tempo conversando depois da comida do que realmente comendo.
- Os pratos são GIGANTES, até hoje, só consegui comer UM inteiro e olha que tenho tentado me esforçar bastante...
- Até os patos aqui estão de dieta... rsrs

- Quase ninguém anda a pé =). Só dá a doida aqui atravessando a rua correndo e tentando olhar para todos os lados para não ser atropelada. As vezes fico até sem graça vou dar uma de brasileira e atravesso com o sinal aberto e aí todos os carros param. Não era para eles fazerem isso, eu corro exatamente para eles não pararem e eu não ser atropelada...
- Até hoje não vi nenhum ônibus em nem taxi.
- A cidade é dividida em duas partes, leste e oeste. Em termos de lojas e centros comerciais, o que tem de um lado tem do outro. Tem um Shopping Leste e um Oeste com as mesmas lojas. Além disso, me deu a impressão que no lado Leste as coisas são mais "rurais".
- O Pizza Hut nasceu aqui...
- Essa é a cidade dos EUA que mais tem restaurante per capita.
- Você pode trocar quase qualquer coisa que você compra. Já troquei 1 vez de computador e só precisei levar a nota fiscal. Estou pensando em trocar ele todas as semana, porque ai sempre vou ter um novo =) rsrs. Hoje fui a uma loja comprar um shampoo, e perguntei para a vendedora qual era bom para o meu cabelo. Quando cheguei no caixa resolvi sondar para ver se ele era bom mesmo. Ela falou que sim e que se eu não gostasse era só guardar a notinha e trocar. Estranho não?!

Bom ... essas são algumas coisas diferente do que temos no Brasil, especialmente nas cidades de BH, Felixlândia e Pompéu, que são as que eu mais conheço. Assim que eu for percebendo outras coisas escrevo aqui.


Tuesday, September 28, 2010

Bagunça deixada para trás

Estava organizando umas imagens e achei duas fotos do armário do meu ex-quarto, no apartamento dos meus pais. Coitados, nós aqui e eles que tem que aguentar a bagunça.
Provavelmente, algumas pessoas que tiverem o olhar mais atento, vão achar entre todas essas caixas, o presente de casamento que vocês nos deram. Se alguém observador não achar, é pq com certeza está mais no fundo =)

Olha os dois penando com as caixas pesadas...

Depois... tudo no lugar e bem encaixadinho. Não cabe mais nada ai dentro...

Notícias de Wichita

Desde que chegamos aqui em Wichita, temos nos surpreendido com muitas coisas. A cidade é melhor e maior do que imaginávamos, a receptividade tem sido ótima, as pessoas são super simpáticas e educadas, tem muitos restaurantes com o preço muito bom, ou seja, teremos coisas para fazer. Pensei, sinceramente que seria um tédio, mas pelo contrário, nesses dias que estamos aqui, as coisas tem sido bem corridas, principalmente para o Pedro.


Ele começou a trabalhar no dia seguinte ao que chegamos. Tem recebido instruções do trabalho, está sendo apresentado aos colegas e também às pessoas que irão ajudá-lo durante o tempo que ele for trabalhar aqui. Também tem tentado agilizar alguns documentos para que possamos abrir uma conta no banco, pegar um cartão de crédito e tirar carteira.


Na quinta feira da semana passada, fomos ao aniversário do chefe dele, Evan, e foi muito legal! Ele é uma pessoa super divertida e empenhada em que a nossa permanência aqui seja ótima!


Esse final de semana olhamos vários apartamentos, por que temos no máximo 15 dias para ficar no hotel e sinceramente, não sei se alguém já passou por essa experiência, mas morar em hotel é um pouquinho complicado. Então, principalmente eu, já estou doida para mudar.


Alugar apartamento aqui é bem mais fácil que no Brasil e os imóveis são bem parecidos. A diferença é que alguns são mais novos e mais bem localizados e por isso são mais caros. Além disso, quase todos tem piscina e quadras. Dizem que o verão aqui é quase tão insuportável quanto o inverno =).


Estamos optando por um que seja bem localizado, porque aqui, tudo é perto de carro, mas a pé nem tanto e como o carro é da empresa e ficará com o Pedro, preciso de conseguir ir a pé para supermercado e outras coisas assim. Outra coisa que aqui é diferente é o transporte público, ou melhor, a inexistência de um. Só vi um ponto de ônibus até agora e a Moara (pessoa que tem ajudado MUITO a gente) falou que não lembra de ter visto ônibus. Não tem metrô e os taxis não ficam rodando nas ruas, você tem que chamar, normalmente do hotel, e custa a vir. Até agora não vi nenhum. Ainda bem que carro é barato, se não esse “wichitenses” iam estar perdidos e magrinhos...


No domingo tivemos a oportunidade de conhecer o “centro” de Wichita. Fomos a um ponto turístico chamado Keeper of the plains. Onde tem o encontro de dois rios e uma escultura de um índio gigante.Diz a lenda que é ele que protege Wichita contra os tornados... ahã... . De qualquer forma, lá é bem bonito. Estou doida para voltar lá de noite porque solta fogo de umas estruturas na frente dele, então deve ser bem bonito. Nessa região tem MUITOS museus e em breve quando eu for lá, coloco umas fotos para vocês. tem o encontro de



Olha o índio ai atrás


A ponte sobre um dos rios




As placas atrás falam sobre as tribos que existiam na região de Wichita e algumas outras curiosidades sobre os índios...

Essas pedras ficam na frente do índio... Ali atrás de mim, no canto esquerdo é o lugar que sai fogo a noite...


Essa é a Moara que tem nos ajudado MUITO...



Os dias aqui, estão bem agradáveis. A temperatura de manhã está por volta dos 10 graus, tudo bem, isso não é agradável, mas é só ficar em casa. Por volta das 10 horas aumenta a temperatura, tem um ventinho fresco e o céu quase não tem nuvens e à noite esfria de novo, aí pode sair... A temperatura já abaixou um pouquinho desde semana passada, mas todo mundo ainda está falando que está agradável. Para mim está ótimo, porque eu sempre estou de moletom ou com qualquer outra blusa que me esquenta, mas eles continuam usando camisas e bermudas...


Esse post está ficando realmente grande, então vou deixar para escrever mais em um outro post. Agradecemos as orações e o carinho dos irmãos, sabemos que é o Senhor o único que tem e continuará nos sustentando.



Thursday, September 23, 2010

Viagem para Wichita

Demorei para postar de novo, mas imagino que daqui pra frente, vai ser mais rápido.

Passamos as últimas duas semanas arrumando, empacotando e fazendo as malas para a nossa viagem no dia 21. Parecia que tinha passado um furacão pela nossa casa. Quanto mais embalávamos as coisas, mais coisas surgiam. No fim, conseguimos fazer quase tudo…

Os dias 21 e 22 foram dois mais engraçados, estranhos e tensos. Estávamos de mudança, ou seja, 5 malas e muita apreensão. Pegamos o avião em BH, com atraso, pq tiveram alguns problemas mecânicos e eles tiveram que fazer uma mudança de aeronave. Chegamos em São Paulo e o nosso voo para Dallas já estava quase saindo. Fizemos o check in e o cara falou: “Vocês tinham que estar a 5 minutos atrás no portão de embarque”. Pedimos a direção e começamos a correr. Conseguimos embarcar e descansar depois da correria. Só que deu um problema no avião e ficamos parados 2 horas esperando a solução.

O voo foi bom, pq tinha uma cadeira vaga entre eu e o Pedro e ai eu fui deitada e dormi quase a viagem toda, isso foi INÉDITO! O Pedro não precisa de deitar para dormir, rsrs… Então as 10 horas passaram bem rápido. A parte mais demorada foi uma tempestade que nós pegamos com bastante turbulência. Dava para ver os raios da janela. Isso foi meio tenso…

Chegamos em Dallas e ai comecei a ficar nervosa por causa da imigração. Minha última experiência não tinha sido muito boa. Seguimos pela fila e fomos direcionados para um guiche. Um cara chamou a gente viu que o nosso visto era o J1 e o J2 e pediu para que a gente voltasse para fila pq o cara que estava atrás dele ia nos atender, pois estava em treinamento. Achamos ótimo pq o outro cara parecia SUPER simpático.

Confirmamos isso na hora que ele nos chamou. Sabe aqueles vovozinhos super carinhosos e tal, era ele. O Pedro falou com ele, que o outro cara tinha mandado a gente para ele pq ele estava em treinamento. Ele deu um sorrisinho e disse: “Ah sim…” (tipo zuando). Ele falou que apesar do nosso processo ser meio raro, pq tinha um J2 (eu) junto com um J1 (Pedro), que ele não daria problema para a gente e foi fazendo todos os procedimentos. Isso foi um alívio imediato. No meio da conversa falou que fazia 24 anos que ele trabalhava lá. Ou seja, ele nao estava em treinamento e o outro fez gracinha enviando o nosso processo para ele. Aí rimos e ficamos bem mais a vontade. No final ele falou que era para a gente visitar ele depois, rsrs…

Fomos pegar as malas e claro, já tinhamos perdido a conexão por causa do atraso em São Paulo. Por isso, fomos direcionados para um outro voo que sairia 3 horas depois. Isso era umas 9:30 (2 horas a menos que no Brasil). O aeroporto é tao grande que tivemos que pegar um trem dentro dele para chegar na área que a gente queria.

Almoçamos e para variar, o Pedro com o “olho maior que a barriga” pediu comida como se fossemos 4, mas estava uma delícia!

Pegamos o voo e chegamos em Wichita. Logo fomos recebidos pela Moara (pessoa que o Pedro vai substituir). Contamos para ela que a viagem tinha sido boa, que de tanta coisa errada, não tinha mais nada para acontecer. Aí, a luz do aeroporto acaba, rsrs…. Logo voltou, ainda bem, se não, nada de bagagens.

Fomos para o Hotel, bem gostoso. Logo, logo mostramos umas fotos.

Depois de uma hora a Moara pegou a gente de novo e fomos conhecer Witchita. Estava morrendo de medo, pensando que não teria nada para fazer, que seria complicado sem carro, pq o Pedro vai para o trabalho de carro, mas me surpreendi. O hotel fica super perto de 3 centros comerciais. Tem de tudo neles: supermercado enorme, lojas de roupa e de eletrônica, uma SUPER livraria e outras coisinhas para eu conseguir sobreviver. O problemas ainda é a lingua. Estou entendendo o que os outros falam, mas o pânico faz com que eu pareça uma muda. Acho que quando eu abrir a boca, só vai sair Português. Hoje veio uma moça limpar o quarto e quando eu abri a porta e pedi para ela repetir o que tinha falado, pq eu não falo muito bem inglês, ela me olhou como se eu fosse uma E.T. e ficou muda também. Ops, acho que isso pega rsrs…

Esqueci de contar que aqui tudo é igual. Eu e o Pedro saimos ontem a pé para conhecer esses centros comerciais e comprar um computador. Ficamos perdidos quando fomos voltar para o hotel. Já parecemos estrangeiros pq andamos a pé e aqui não tinha visto ninguém andando a pé. Nem sabíamos onde tínhamos que atravessar a rua pq nao tinha faixa de pedestre. E depois tivemos que abrir um GPS para chegar ao hotel, rsrs … primeiro vacilo.

Bom… acho que é isso tudo. Depois vou tentar tirar umas fotos com o cel do Pedro e coloco aqui, para vocês verem como é Wichita.

A saudade ainda está aqui dentro. Onde passávamos íamos lembrando dos amigos. Claro que na hora que ficamos perdidos, lembrei do Papai. Porque eu não herdei a bússola que ele tem na barriga?


Thursday, September 2, 2010

Viagem Agendada

Olá,

Vim aqui rapidinho, para dizer que nossa viagem está agendada. Ela será no dia 21 de setembro.
A saudade antecipada já está batendo na porta, mas Deus tem um propósito para tudo.
Durante o tempo que estivermos lá, vamos fazer desse blog o nosso meio de comunicação com as pessoas que quiserem saber mais notícias nossas.
Esperamos a visita de vocês e comentários nos posts.
Bjos e até breve!
Deborah e Pedro