Thursday, March 31, 2011

New York - Parte 3

Terceiro dia, terça feira. Tivemos sol entre nuvens e achamos que era uma boa oportunidade para caminhar.

Começamos bem lá no sul de Manhattan, na Estátua da Liberdade. Estava super empolgada, acho que é uma parada obrigatória. Existem várias possibilidades, helicóptero, taxi aquático e balsa (acho que é isso). Resolvemos ir pela balsa grátis, quem tinha dúvida disso, rsrsrs... Ela não faz uma parada na Estátua, ela passa perto e eu achei ótimo, porque conseguimos fotos bem legais.
Entrada da Estação da Balsa

Tem uma outra que pára lá, mas tudo é pago, a balsa, a descida na ilha e ouvi comentários que é melhor ver ela de longe do que de baixo para cima.
Para conseguir tirar foto ficamos na lateral da balsa, nossa, mas ventou viu?! E estava frio.

Olha o cabelo da pessoa, o Pedro não podia nem abrir o olho, se não era chicoteado... rsrs. Detalhe, lá no fundo tem uma estátua =)
A estátua...

Quando voltamos, andamos pelo distrito financeiro até o touro. É impressionante como tem turista naquela cidade. Terça feira e estava cheio em volta dele, mas conseguimos uma brechinha =).

Passamos pelo (ex) World Trade Center. Vimos apenas a construção do memorial, no local onde estavam as torres gêmeas.

Depois fomos para o Pier 17 e a Ponte do Brooklyn. No Pier 17, tem um shopping bem turístico, aproveitei para fazer a minha primeira moeda =). Deixa eu explicar: em alguns lugares eles deixam uma máquina, onde você paga para prensar uma figura em uma moeda de 1 cents. Essa figura varia de acordo com o lugar que você está. Fiz algumas dessa quando estive em Orlando (2008) e fiz outras em NY, acho que comecei uma coleção =) rsrsrs...

A Ponte do Brooklyng é só uma ponte, mas ela é muito linda! Tem um caminho para pedestres e ciclistas por cima de onde os carros passam. Não atravessamos ela, fomos até um lugar onde as fotos ficavam bonitas e voltamos. Estávamos mortos de tanto andar. Quando chegávamos no metro tudo que a gente queria é que demorasse, assim teríamos mais tempo para assentar e para dormir (esse último não era o meu caso).
Depois da ponte fomos para a Times Square. Almoçamos no Red Lobster, restaurante que eu e o Pedro gostamos muito, de frutos do mar. Depois passeamos, lá também tem muita loja e lugares para conhecer. Sem dúvida, o que caracteriza a Times Square são os anúncios por toda a parte, as luzinhas piscando e aquele tanto de gente... não consigo nem imaginar como é no Reveillon. Quer dizer, acho que consigo, porque o Pedro falou que foi lá uma vez, chegou 6 horas antes, ficou a 11 quarterões de distância, morrendo de frio.


Não ficamos muito tempo lá, porque tínhamos um encontro com o Andre Lin =). Fomos para Hoboken e ele nos encontrou lá. A cidade, pelo menos a parte que a gente viu, é bem bonitinha, cheia de prédios de tijolinhos. O André nos levou a um parque ao lado do rio, onde eles falam e a gente comprovou, que é a melhor vista de Manhattan.

Chegamos lá de noite e foi muito legal! Tentamos tirar fotos, mas infelizmente estávamos sem tripé e estava ruim de equilibrar. Por isso só temos essas fotos...

Eu já tinha arrumado a "tortura" (vem de torto) dessa foto, mas ela voltou... aiai

Jantamos em um Dinner's para o Pi e a Taly conhecerem e depois fomos para casa dormir =)

P.S.: Nossa, esse post custou a sair. Tiramos mais de 1500 fotos, escolher para colocar aqui é complicado =). Espero que vcs gostem!

Wednesday, March 30, 2011

New York - Parte 2

Ontem, depois que postei a primeira parte da viagem, comecei a pensar como ia dividir as postagens e acho que vou fazer por dia. Assim posso colocar muitas fotos e passar sem pressa por cada coisa que fizemos.

Quando começamos a planejar a viagem para NYC, ficamos um pouquinho perdidos. Queríamos ver tudo, não gastar muito e divertir. Começamos a seguir um monte de blogs e sites sobre NY e assim recebia dicas. O Pi fez a mesma coisa e nós dois descobrimos um blog muito legal, viagens para mão de vaca =). Nele achamos várias dicas de museus com entrada sugerida (ou seja, não precisa de pagar o preço cheio), quando que eram as entradas franca e assim por diante. No final tínhamos trilhões de coisas para fazer e nenhuma noção de quando seria.
Tentamos fazer um calendário em comum para nós 4. Assim poderíamos sugerir e modificar cada atividade, mas por falta de destreza em computadores, eu não consegui muito bem, né Pi?
A gente precisava de ter idéia do que, era perto do que e eu e o Pedro fizemos um mapa no Google Maps, com as atrações que queríamos ver e assim tivemos noção do que estava próximo (muito fácil de fazer Pai, acho que o senhor vai gostar disso).
Montamos mais ou menos o grupo de atividades por dia e só ficou faltando a previsão do tempo. No dia que chovesse íamos para shopping e museus e nos outros dias andaríamos.

Como tínhamos visto na previsão, a segunda feira ia ser com chuva então programamos ir para o shopping. Quando acordamos e abrimos a janela tivemos uma surpresinha: Flurry (uma chuva com flocos de neve bem molhadinhos). O Pi e a Taly ficaram super empolgados, eu também fiquei quando vi pela primeira vez...
Flurry visto da nossa janela.

Levantamos meio tontos de sono, passamos no Dunking Donuts (para variar, rsrsr) e fomos em direção à estação para pegar o ônibus para o shopping Jersey Gardens em New Jersey. A viagem é um pouquinho demorada, acho que quase uma hora, alguns (Pi & Taly) aproveitaram para um cochilo.

O shopping é de lojas de outlet, ou seja, são lojas que recebem mercadorias de outras estações e por isso fazem um preço bem em conta. Achei que tinham promoções muito boas, apesar de eu ter ficado um pouco decepcionada. Acho que imaginei ele como o Sawgrass em Miami, que fui lá três vezes e não conheci ele todo. Tirando a parte da minha decepção, acho que é um bom lugar para quem planeja fazer compras e tem um dia inteiro para fazer isso.

Ficamos lá até o shopping fechar às 21:00. Assim que terminamos fomos correndo para o ponto do ônibus, mas quando chegamos lá tivemos um choque, tinha uma super fila. Tínhamos visto que depois que o shopping fechava só tinham mais dois ônibus e na nossa frente tinha tanta gente que não caberíamos nem no segundo ônibus, que só era às 23hrs. Vimos também uns taxis ao lado da fila e começamos a ficar com medo de ter que voltar de taxi e pagar o olho da cara. Só tinha uma coisa para fazer, esperar.

Foi o que fizemos, esperamos. Veio o primeiro ônibus e a fila quase não mexeu. O Pedro conversou com o motorista e ficamos sabendo que estava vindo mais um antes das 23hrs. Logo, logo ele chegou, mas não coubemos e tivemos que ficar lá para o último ônibus. Estávamos bem cansados e esperar uma hora do lado de fora com o frio de mais ou menos zero graus, foi tortura, mas não tínhamos outra opção. O bom foi que ficamos ao lado de um ponto de ônibus e entramos nele para esperar, mesmo assim estava bem frio. Às 23:15 o ônibus chegou e para a nossa felicidade conseguimos lugar para assentar. Algumas pessoas tiveram que ir em pé.

Eu e a Taly esperando. Estávamos tão cansadas que o chão úmido estava bom. Além do mais, com duas calças custamos a sentir a umidade na pele =)

Chegamos em Manhattan um pouco depois da meia noite e estávamos com fome. Descobrimos um Domino's no meio do caminho e foi lá que paramos. Aproveitei para comemorar o niver do Pedro junto com o Pi e com a Taly. Foi completa surpresa para ele, os chapeuzinhos e a velinha estavam escondidas dentro da minha bolsa o dia inteiro. Apesar da simplicidade e do cansaço, foi bem legal!
Parabéns!!!
Acho que esquecemos de cantar parabéns, mas também estávamos com tanta fome ...

Voltamos para casa e capotamos!

P.S.: Para quem for nesse shopping, lembrem de não deixar para ir no último ônibus, você pode ter uma surpresa como a nossa!
P.S.2: Se você clicar nas fotos elas aumentam =)

Tuesday, March 29, 2011

New York - Parte 1

Até que enfim consegui um tempo para começar a postar sobre a tão esperada viagem para NY. Coloquei parte 1 lá em cima, mas não tenho nem idéia de quantos posts vão ser. A viagem foi tão boa e gostosa, que poderia escrever MUITO sobre ela.

Antes de começar queria falar, que melhor do que conhecer um lugar novo, foi encontrar com o Pi e com a Taly. O encontro foi como um oásis no meio do deserto. Não sei nem expressar e explicar, acho que fiquei meio boba e pastel nesses dias e sinceramente, quando olho para trás parece que não aconteceu e que foi um sonho. Alguém me entende? Depois da viagem, parece que a saudade veio com tudo de novo. Tenho a sensação que depois de um tempo longe, você acostuma a viver com a dor da saudade, mas parece que eu desacostumei com a última semana.

Pronto, vamos deixar de ladainha e começar a falar da SUPER viagem....

Pedro e eu, viajamos sábado a tarde toda e chegamos lá, só umas 10 da noite. Pi e Taly começaram a viagem na sexta, indo para Jundiaí/Sampa e no sábado fizeram escala em Bogotá e depois chegaram em NY. Nos encontramos mesmo à 1 da madruga de domingo. Queria ter feito mais estardalhaço, mas como estava bem tarde e em um apartamento que não era nosso, tentei me conter.

Hotel em NYC (New York City) é bem caro, assim como várias outras coisas =), então, para tornar a viagem possível, resolvemos procurar por apartamento no airbnb. Esse site é bem interessante, são pessoas que abrem suas casas, apartamentos, estúdios, fazendas... para viajantes de outras cidades e países. Pode parecer um pouco louco, mas vi várias indicações e pareceu super viável. Achamos um apt dentro do que poderíamos gastar, com uma boa localização e recomendação e lá fomos nós. Ficamos os 4 em um quarto e dividimos o banheiro com os donos do apt. Esperávamos que fosse um pouco mais limpo, quer dizer, bem mais limpo, mas como só íamos no apt para dormir, foi bem tolerável! Além disso, o Paolo que nos hospedou, é bem simpático.

Nem precisa de falar que no primeiro dia (e em todos os outros) dormimos pouquíssimo. Além do mais, para que dormir em NY se a gente pode dormir na nossa casa? No domingo, visitamos os irmãos em Flushing. Foi bem interessante, estilo o Lar dos cristãos em SP. Cada um fala e canta na lingua que quiser, sendo que as predominantes são o chinês e o inglês =). Chegamos meio atrasados, o lugar é meio longinho de onde estávamos, por isso assentei na cadeira disponível e longe de brasileiros e americanos. Ou seja, eu era a única no meu canto, que cantava em inglês. Aí, tava lá a Deborah toda empolgada cantando um hino que eu conhecia em Inglês e seguindo a letra pelo hinário. Chegou uma hora que não tinha mais letra no meu hinário, mas todo mundo continuou cantando, aí descobri que tinha esquecido de voltar no coro depois de cada refrão =), eta mico!

No metro, tomando café da manhã (Duking Donuts), indo para Flushing.

A reunião foi legal, quem compartilhou foi o Christian Chen. Almoçamos com os irmãos e depois fomos passear.
Primeira parada: Estação Central (Grand Central). Muito grande, iluminada e como em vários outros pontos parecia que a gente estava dentro de um filme.

No mercado dentro da estação...
... salão principal.
Onde estão os Wallys?

De lá, seguimos pela famosa quinta avenida. Essa é uma avenida que corta Manhattan de Norte a Sul e o trecho abaixo do Central Park é o mais famoso. Tudo é muito voltado para o turismo e essa rua é LOTADA de lojas as mais variadas marcas.
Lojas, lojas e mais lojas, cada um com as suas preferidas (Best Buy, Fossil, Barnes and Nobel e Sephora), tinham muitas outras, mas não dá para colocar todas as fotos.

Passamos pelo Rockfeller Center, é um ponto turístico. Ele é um complexo com 19 prédios, dentre eles, um com 70 andares, que é o chamado Top of the Rock, um observatório onde é possível ver o Empire States e o Central Park. Nesse complexo também tem um rink de patinação e várias outras coisas dependendo da época do ano.

Símbolo do Rockfeller Center.
Passando frio em frente ao Top of the Rock.
Rink de patinação.

Ponto Final: Apple Store, loja famosa na esquina sudeste do Central Park. Esse cubo de vidro aí embaixo é a entrada da loja que fica no subsolo. No meio do cubo tem um elevador e em volta dele uma escada em espiral, muito legal. Demos uma olhada na loja e eu e a Taly nos acomodamos em um banquinho e ficamos esperando os meninos. O contrário aconteceu quando entramos na Sephora (loja de maquiagem).

Nossa foto dentro do elevador, ficou parecendo a capa do seriado Fringe, né? Ah... a gente ainda estava aprendendo que tínhamos que olhar para a lente da camera e não para o visor =).

As duas estações de metro próximas da Apple Store estavam fechadas, além de tudo que tínhamos caminhado, ainda andamos um monte até chegar em uma que nos deixasse a 4 quarterões de casa. Quando chegamos, por volta da meia noite, estávamos mortos. Os pés e pernas doloridos, cansados, com sono e era só o primeiro dia. O Pi resolveu olhar no mapa o tanto que a gente tinha andado e tinha sido quase nada. Andamos só da rua 42 (Grand Central) até a 59 (Apple Store) e alguns quarterões em volta, mas tava bão demais!

Continua...

Friday, March 18, 2011

Pausa...

Teremos uma pausa de uma semana aqui no blog, por um ÓTIMO motivo. Vamos encontrar com o Pi e a Taly em NYC! Estou super ansiosa e nem sei se vou dormir hoje =)...
Depois vou coloco fotos, novidades e o que acontecer com a gente lá!

Mais aniversário...


Ontem a noite resolvemos ir a um restaurante que chama Texas Road House. Até agora é o que eu acho que tem a melhor carne. E para nós, criados e crescidos com churrasco, sentimos falta de carne de verdade.
O restaurante é bem rústico, parecendo coisa de faroeste. O amendoim é à vontade e as pessoas costumam jogar as cascas no chão.



Depois do restaurante fomos até o "Keeper of the Plains", para ver o fogo que tem na base dele a noite. Acho que só porque eles descobriram que a gente ia, apagaram o fogo =(, mas mesmo assim foi legal!

Bjinhos....

Thursday, March 17, 2011

PARABÉNS AMORIIIIITOOOOO


Hoje é um dia ESPECIAL!!! Niver do marido, querido, amigo e companheiro... êêêêê Deus te abençõe,

PARABÉNS!!!

Estamos em uma semana meio atarefada, viagem semana que vem e por isso todas as minhas idéias mirabolantes tiveram que ser transformadas em algo mais simples...




A cara inchada é porque tinha acabado de acordar e eu tive que acordar ele super correndo porque os balões começaram a cair =( ...

Monday, March 14, 2011

O caminho do Senhor...


"O caminho de Deus é perfeito; a palavra do SENHOR é provada; é um escudo para todos os que nele confiam". Salmos 18:30

Friday, March 11, 2011

Tutorial, caixa de presente

Desde que cheguei aqui e descobri a Hobby Lobby com seus lindos papéis de scrapbook, toda caixa de papelão que eu encontro, virava uma caixa aqui em casa. Guardo todos os papelões a caixas, mesmo que eu ainda não saiba o que fazer, mas ele fica guardado para quando eu tiver uma luz.
Postei algumas fotos das caixas que eu fiz e sempre alguém perguntava como que eu fazia. Hoje quando eu fui fazer uma, resolvi tirar umas fotos para esse post.

Material:
Papelão, papel para forras a caixa, régua, lápis, tesoura, estilete, fita adesiva, cola a base de água, pincel e um paninho (alguns itens não estão ai, falha minha)

Primeiro, eu estou aproveitando caixas de papelão, então não tenho muita escolha da espessura nem do tamanho, tem que ser o que tem. No Brasil quando eu fazia, eu usava um, que se eu não me engano, chama Papelão Paraná (mãe, me corrige no comentário se eu estiver errada). Outra coisa, eu estou usando papel de scrapbook, primeiro porque tem inúmeras estampas e possibilidades, segundo porque sempre consigo uma boa promoção (6 papéis por 1 dólar) e terceiro, porque os papéis de presente que tem aqui, são muito mais finos dos que eu encontrava no Brasil. Juntando tudo essa é a opção que eu tenho aqui em Wichita. Cada um se adapta no lugar que estiver.

Comece fazendo um molde da caixa. Um quadrado ou retângulo para o fundo, e as abas. Tente pensar tridimensional, para a caixa não ficar desproporcional (a rima, foi pura coincidência). Para a tampa, você deve pegar o tamanho da base e acrescentar alguns milímetros, dependendo da espessura do papelão que você está fazendo. Normalmente uns 0,3 ou 0,4cm de cada lado. Isso vai depender do papelão e também do jeito que vc vai forrar a caixa. Hoje estava fazendo uma e como forrei por dentro e por fora com o papel de scrapbook que é bem grosso, mesmo eu tendo conferido antes a caixa não fechou. Tenha certeza de calcular o tamanho certo.
Se você errou o tamanho e não encaixou, respira fundo, conta até 10 e recortar outra tampa (melhor do que o fundo porque é menor, ou seja o gasto de papelão e papel é menor). Depois você pode aproveitar a tampa que não fechou e fazer outra base (lembre de diminuir nas dimenções).

Voltando...
Depois que você desenhou as caixas e cortou, você tem que vincar a caixa, ou seja, passar o estilete até metade do papelão, marcando as abas, para elas poderem dobrar e ficar na vertical. Depois que vc vincou, confirme para ver se a tampa realmente encaixa na base (tem gente que esquece de fazer isso e fica cheia de base e tampas que não se encaixam, Oi?! Alguém falou de mim?).
Tampa e bases prontas, vincadas e conferido o tamanho.

Agora é a hora de colar o papel. Sempre que você for passar a cola para grudar o papel, lembre que tem que ser o suficiente para cobrir toda a área, mas não pode ser muito se não enrruga todo o papel. Espalhe a cola com um pincel, posicione o papel e esfregue o papel contra a superfície da caixa com um pano macio. Isso vai fazer o papel grudar sem bolhas. No meu caso, com papelão irregular, bolhas e imperfeições são comuns.

Fundo pronto. Na foto debaixo, deixei essas abas sobrando, para mostrar que tem que ser assim, para fazer um bom acabamento. Antes de fechar a caixa, cole elas para o outro lado.

Depois que você forrou a caixa por dentro. Levante as abas e prenda com fita crepe, ou durex. Faça a parte de dentro das duas caixas que vai te dar tempo de preparar antes de fazer a parte de fora que tem que ser bem acabada.
Tampa e base fechadas com durex.

Para a parte de fora você deve fazer a mesma coisa que a de dentro. Espalhar a cola, colar o papel, esfregar com cuidado para não deformar a caixa.
Quando for fazer as laterais, lembrem que para dar um bom acabamento, você deve fazer as abas sobrando iguais às da foto 4. A primeira aba você cola ela toda incluindo as laterais, a próxima você corta a rebarba bem rente a quina como na foto abaixo:


Para finalizar, o papel que sobrar para cima das laterias, devem ser medidos e cortados (normalmente faço de 1,5cm), depois coladas para dentro para ter um bom acabamento.

Prontinho:

Como o Scrapbook é pequeno, eu tive que fazer algumas emendas na caixa. Uma da para ver nessa foto (no meio da tampa). Se alguém precisar de fazer e tiver dúvida me avisa que eu explico como faz.

Elas podem servir como caixas de presente, como o próprio presente (já fiz kits de caixas para algumas amigas), como decoração e organizadores. Agora é só escolher o que você precisa e o papel!
Divirtam-se!!!