Friday, June 3, 2011

Primeiro dia no Zoo

Sim, hoje foi o meu dia primeiro de trabalho voluntário no Zoo =). Nossa, estava super empolgada e super ansiosa para começar logo.

O dia começou LOUCO! Normalmente a pessoa aqui, que nem é ansiosa, na noite anterior do primeiro dia de trabalho, ou de algum evento importante, sempre sonha que o despertador não funciona, que o carro estraga, que o ônibus atrasa... enfim que não consegue chegar no lugar na hora certa. Hoje foi a primeira vez que eu não tive esse sonho e foi também a primeira vez que eu chego atrasada. Estava marcado no Zoo às 8:00, para isso eu precisaria de sair aqui da casa umas 7:40 no máximo para chegar lá na hora certinha, mas o despertador não tocou (eu programei ele errado) e eu acordei 7:58, que tal? Eu tomei TANTO susto que pulei da cama e falei com o Pedro que já estava super atrasada. O coitado não teve nem tempo de pensar e já pedi para ele preparar um pão para mim que ia comer no caminho. Ainda bem que tudo já estava separado e hoje foi o dia que eu aprontei mais rápido na minha vida, 8:03 a gente estava saindo de casa. Acho que o Pedro dirigiu daqui de casa ao Zoo no susto e sem estar completamente acordado, rsrsrs... Ufa! Cheguei lá e sinceramente, acho que ninguém tava aí com o meu atraso...

Depois do crachá e as questões burocráticas prontas fui conhecer a área que vou trabalhar e a pessoa que ia acompanhar, a Jan que trabalha no Zoo há 16 anos (NÚ!) e além disso fui avisada que com ela não tem tempo bom e que era muito trabalho, então: mãos à obra...
lavar jaula de três leões adolescentes, dois machos e uma fêmea e alimentar eles; limpar o recinto e a exposição dos 6 babuínos, retirar o coco, esfregar o chão, espalhar frutas, verduras e a ração e ser chamada de babuína por algumas pessoas; pausa para tomar água e ir para o ar condicionado; limpar recinto dos cangurus e de umas aves que parecem uma mistura de avestruz com ema, com todos os animais junto com a gente: detalhe as aves atacam, demorei 30 minutos para catar todos os cocos e retirar os galhos secos, porque o lugar era super grande, eles fazem MUITO coco e além disso tinha que tomar cuidado para as aves não se sentirem ameaçadas; lavar as vasilhas onde coloca a comidas de todos os bichos que já passamos; ver se os cangurus da árvore estavam bem (eles são fofos!) a mãe e a filha estavam em exposição e o macho está em um recinto separado para observação; lavar o lugar que os cachorros selvagens da África ficam e dar alimento para três mini cangurus (não sei o nome deles ainda), que ficam soltos na exposição da Austrália. Hora do almoço, já tô morta!!! Catar os ossos que os leões brincam, para incinerar; pegar água sanitária no almoxarifado; conhecer o hospital do Zoo (enooorme); cortar galhos de árvores e um outro negócio que parece milho e levar para os leões, cachorros selvagens, babuínos e canguru da árvore brincarem; levar gelo com frutinhas para os cangurus da árvore; pausa para uma raspadinha; Perguntas e respostas com os visitantes dos Zoo sobre os leões (quem fez isso foi a Jan), no fim só respondi perguntas sobre o que precisa fazer para ser um voluntário e se eu gostava; ver se os babuínos estão bem e alimentar os leões, UFA!

Eu pensei que eu nem ia chegar muito perto dos bichos, mas tinham uns que até dava para passar a mão, como os leões. A moça que estava comigo dá bolinha de carne na boca deles... ainda não tenho coragem para isso e quando cheguei perto da jaula eles começaram a rugir, acho que é porque eles não me conheciam e sinceramente, mesmo separado por uma grade dá para assustar. O maior susto que eu tomei foi na última vez que fomos alimentar os leões adolescentes e dessa vez os que estavam na exposição também, macho, fêmea e filhotinho. Primeiro entrou só o macho, GIGANTE (e eu pensando que os leões adolescentes eram grandes), mas ele estava tranquilo. De repente chegou a leoa, LINDA, mas nem deu tempo de admirar direito porque ela começou a rugir tão forte, que eu tive que me segurar para não sair correndo, porque eu pensei que seria muito vergonhoso! Eu saí de perto, ela parou e aí chegou o filhotinho, fofo, pequeno e lindo. Quando fiz que ia chegar perto dele (não muito porque já sabia que a mãe era protetora), o leão e a leoa ficaram em pé, apoiando na grade, e eles rugiram TÃO alto que eu sinceramente nem lembro o que aconteceu depois de tanto medo que eu fiquei. O rugido deles era tão forte que parecia que saía do meio da minha barriga...
Saí assustada, mas feliz por todas as grades que me separavam deles =)...

Esses são os Cangurus da Árvore, também dava para passar a mão, fofos né? (a foto não é minha, tá?)

Quando o Pedro foi me buscar ele levou a máquina por que ele achou que eu ia estar imunda... até que não estava, né?

Desculpa pelo post gigante, mas o dia foi tão legal que eu achei que tinha que contar aqui...

3 comments:

  1. Comecei a ler, vc começou a contar as trilhões de tarefas (inclusive a parte dos cocos... que delícia!) e soltou: Hora do almoço!
    Oo
    Que correria Déborah!!! Uau... Mas deve ter sido ótimo, apesar dos leões e das aves assustadores.

    Obs: No meu primeiro dia de estágio aconteceu a mesma coisa comigo, programei o despertador no horário errado (pensando no horário que tinha que tá lá e os minutos que eu deveria ter acordado antes... muito complicado minha lógica)
    Mas enfim, cheguei bufando lá porque corri pra dedeu, e no fim ninguém reparou também! HAHAHA

    ReplyDelete
  2. Vc bateu recorde mesmo pra aprontar.
    Ufa...depois de tanto limpar sujeira vc estava bem limpinha....pelo menos vendo de longe =D
    Achei super pesado tudo o que vc teve que fazer, mas percebo que vc está muito feliz.
    Seja cuidadosa em todas as coisas.
    Bjo carinhoso

    ReplyDelete
  3. Socorro!!!!!!!!!!! Fico aflita só de pensar!!!
    Saudadinha, Rê

    ReplyDelete